a parte que me cabe nesse latifúndio

Dia desses eu cheguei um pouco atrasado na aula, sentei discretamente pra não atrapalhar, mas um cara sentado na minha frente olhou pra trás e falou “sabe que eu tenho um carinho muito grande por você?”. Eu realmente não queria atrapalhar a aula e menos ainda ouvir uma declaração de amor, aí resolvi que a melhor maneira seria dar um daqueles sorrisos hehe e dois tapinhas no ombro do sujeito.

“E sabe por quê?”.

Aí fudeu. Ele realmente queria continuar nesse assunto e não ia parar. Fiz que não com a cabeça.

“Porque eu olho pra você com essa calça e essa sandália… E VEJO TODO O NORDESTE NA MINHA FRENTE”.

Eu fiquei inédito nessa hora. Eu não sabia se ria, se chorava, se ficava puto. E nem sabia qual parte era mais bizarra: a calça e a sandália, que eram um jeans e Havaianas – e o menino do meu lado estava usando a mesma combinação – ou todo o nordeste na frente dele. Da Bahia ao Maranhão, todo o nordeste personificado em mim. Antes que eu conseguisse decidir o que eu ia responder pra alguém assim, ele continuou:

“Eu acho muito bonito você ter CONSEGUIDO SAIR DE LÁ e ter vindo fazer esse curso”.

Deixei meu Cariri no último pau-de-arara. Depois disso, não tinha mais como falar nada. Se eu fizesse uma piada, ele não ia entender. Se eu tentasse explicar que eu não sobrevivia à base de calango no almoço e no jantar, ele ia achar que era mentira. Mas eu devia ter falado. Porque no intervalo veio o arremate:

“Vai ter esse festival de esquetes, né? Então… eu queria dirigir você numa adaptação de MORTE E VIDA SEVERINA”.

Eu, apesar de muita gente pensar o contrário, tenho muita dificuldade em dizer não. Eu sumo, eu vou ali passear, mas dizer não é bem difícil. E, por incrível que pareça, dizer não pra coisas absurdas é mais difícil ainda, as razões para a recusa já estão na bizarrice do convite. Aí passei duas semanas fugindo dessa pessoa, até que disse que farei, sim, mas no próximo festival. Ganhei seis meses de descanso, porque nordestino é tudo preguiçoso mesmo.

Tags: , , , ,

5 Respostas to “a parte que me cabe nesse latifúndio”

  1. daniarrais Says:

    hahahah fala com ele só citando o nordeste. só com música! e ainda chama ele pra ir no biu!

  2. cris Says:

    e no repente, claro. leal & caju & castanha.

  3. gabosa Says:

    A-M-E-I!!!!!!!!!!!

  4. Cristina Says:

    Ei, mas isso aí não foi preguiça não. Foi pra você se acostumar com a idéia. Preguiça, preguiça mesmo, daquelas de fazer mal às pessoas, principalmente às pessoas que precisam suportar a preguiça do outro, só se acha numa parte do nordeste, que é na Bahia, presentes em algumas pessoas. Não é estereótipo não, é verdade mesmo, mas eles juram de pé junto que é mentira. Mas é verdade mesmo, das verdadeiras.🙂
    Adorei esse negócio de ver o nordeste todinho, ó.
    Beijo,

  5. oração ao templo « Somatopsicopneumatico’s Weblog Says:

    […] frio (porque realmente não dá mais pra andar de camiseta e havaiana por aí, mesmo que isso traga lembranças de todo o nordeste para os […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: